segunda-feira, 15 de janeiro de 2007


"O que se pode prometer: Pode-se prometer atos, mas não sentimentos; pois estes são involuntários.Quem promete a alguém amá-lo sempre, ou sempre odiá-lo ou ser-lhe sempre fiel, promete algo que não está em seu poder; mas ele pode prometer aqueles atos que são conseqüência do amor, do ódio, da fidelidade, mas também podem nascer de outros motivos: pois caminhos e motivos diversos conduzem a um ato. A promessa de sempre amar alguém significa, portanto: enquanto eu te amar, demonstrarei com atos o meu amor; se eu não mais te amar, continuarei praticando esses mesmos atos, ainda que por outros motivos: de modo que na cabeça de nossos semelhantes permanece a ilusão de que o amor é imutável e sempre o mesmo. Portanto, prometemos a continuidade da aparência do amor quando, sem cegar a nós mesmos, juramos a alguém amor eterno." (Friedrich Nietzsche, in ' Humano, Demasiado Humano')

Eu sou fascinada por esse texto.E ele veio despretensiosamente, como uma folha ao vento.E pá! Caiu em meu colo.Um texto desses deve ficar sempre à vista.Acho que vou colá-lo na porta da geladeira!Tem coisa pra ficar mais as nossas vistas do que a geladeira?Existem pessoas que até a abrem para pensar,imagine...

Bem, Nietzche foi um sujeitinho que sofreu muito por amor.Suas peripécias não foram bem sucedidas.E posso dizer que nada mais justo do que uma pessoa que tenha vivido amores impossíveis,recusados, tristes e etc, para falar de...Amor,claro. E não somente ele,mas uma infinidade já escreveu sobre esse tema.Antiguíssimo, lugar-comum,clichê.Tudo isso junto."O amor é fogo que arde sem se ver,é ferida que dói e não se sente..." , já escreveu Camões e musicado por Renato Russo.Sentimos,apenas.E o grande mal da humanidade é achar que se pode amar com cobranças.Acho que por isso existem amores infiéis, impossíveis, melancólicos,doentios...O amor, como diria o escritor Rubem Alves,"é um pássaro pousado no dedo.Pode voar a qualquer momento...". Temos que viver focados nisso.E não vivemos.

Sempre digo que a confiança é tudo.Se algo não vai bem, que seja discutido para se chegar a um consenso.E dá-lhe o famoso 'DR' [discutir a relação], que os homens machistas odeiam. Por isso a maioria dos casais vive em pé de guerra!Cobranças,cobranças,cobranças...Pra mim é assim:tá bom, ótimo.Não tá bom, melhor ainda,porque não quero ficar ao lado de uma pessoa fraca, que não é capaz de dizer o que sente.Por isso que nunca protelo uma conversa.Nada fica sem resposta pra mim.Se gosto de alguém, não vejo motivos pra não fazer a comunicação:'eu gosto de você!'.Acho que no amor precisa haver mais praticidade.Essa história de 'não quero magoar fulano' já era.Se magoa mais alguém dizendo inverdades, sendo omisso, monossilábico. E a pior das pessoas é aquela que, por puro egoísmo, adora cultivar estepes,para aqueles momentos de solidão. Tipo: 'se só tem tú, vai tú mesmo.' Eu já sou da seguinte filosofia barata: 'antes só que mal acompanhado.'

Não sei se sou a melhor pessoa pra falar sobre sentimentos,mas já melhorei bastante.Sempre imaginei ,e continuo imaginando, que nada nessa vida pode ser feito sem amor.Seja no trabalho, relacionamentos entre amigos, nos romances.E aprendi,principalmente, que nada também pode ser feito sem entusiasmo e dedicação até que se prove que a pessoa, a quem se é dedicado todo esse amor, não está em concordância.Nada pior que a rejeição,mas você só sente isso quando vai à fundo.Quem fica só na beirinha do poço não sente.E talvez não viva plenamente esse amor.

Já caí na verdade, em grandes poços, mas rapidinho aprendi a fazer escalação e saí sem grandes traumas. E hoje digo que nada me abala por muito tempo. Dedico um tempo ao sentimento e uma vez desconfiada que não prosseguirá,desisto e passo pra próxima página.E nada de correr atrás, porque quem corre atrás só chega em segundo lugar.Sigo em frente, na esperança de novos acontecimentos ou não, porque um dia após o outro é melhor que buscar um relacionamento atrás do outro.

E diante disso, uma regra que sigo à risca: não me cobrem nada porque nada eu cobro.Pelo menos procuro lembrar disso toda vez que acontece algo que me deixa um pouco insegura.É, porque também não sou de ferro!Leva-se muito tempo para descobrir que não se deve cobrar nada.Cobrar atenção é o último ato do desespero.E isso desgasta qualquer relacionamento. Pessoas são livres para tomar suas decisões e rédeas na vida.E cobranças devem ser feitas quando alguém deve algo a outro alguém.E sentimentos, como bem pontuou o sofredor Nietzsche, não podem ser cobrados.

Depois,qualquer dia desses,em um outro tópico, falarei da lealdade.Por hoje chega.

angel.


Um comentário:

Evan disse...

amor é algo que eu ainda não consegui decifrar... só sei que não consigo viver sem ele...

Beijos,

Evan.