quinta-feira, 25 de janeiro de 2007


Pescador de Ilusões
O Rappa

Se meus joelhos não doessem mais
Diante de um bom motivo
Que me traga fé, que me traga fé
Se por alguns segundos eu observar
E só observar
A isca e o anzol, a isca e o anzol
Ainda assim estarei pronto pra comemorar
Se eu me tornar menos faminto
Que curioso, que curioso
O mar escuro trará o medo lado a lado
Com os corais mais coloridos
Valeu a pena, eh eh
Sou pescador de ilusões
Se eu ousar catar
Na superfície de qualquer manhã
As palavras de um livro sem final
Sem final, sem final, sem final, final

Você já parou e pensou quantas vezes pescamos ilusões?
.
Eu já.
.
Não quero falar mais nada.
...........................................
Angel.

2 comentários:

luiz disse...

nossa, que textos mais melancólicos ultimamente... rsrs

se você parar pra pensar, você percebe que ilusão é algo que não existe na hora de fazer uma escolha, porque não tem como saber se você vai ser enganado ou não. e se não há ilusão na hora da escolha, porque haveria de ser depois?

Beijos.

ps: música linda também!

Evandro disse...

às vezes, de tanto que a gente pesca ilusões, uma hora aparece um peixe grande em nossa vara, quando a gente menos espera. (sou a prova viva rs)

beijos,

Evan.