quarta-feira, 17 de setembro de 2008

"... uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de. Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida." Clarice Lispector

Engraçado como olhei para esse trecho da prosa da Clarice [olha só a intimidade!] e notei uma verdade detestável. Detestável porque me porto dessa forma, quase sempre. Poxa, como posso me sentir assim, tão desrespeitosa diante da vida que me foi dada? Mas me porto como louca varrida, sempre em busca de uma birra aqui, outra alí. Eu sou a típica birrenta, queixosa. Queria estar mais com sorriso nos lábios, aquele sorrisão de contente, sabe? Mas nem sempre estou :(

Apesar de quê uma ova! Tenho que aprender a viver bem, independente dos apesares. A vida talvez fosse uma chatice se não existissem os obstáculos. Uma vez me disseram que só aprendemos com os erros. Tenho provado isso nos últimos meses. Tão difícil acertar! Seja na vida pessoal seja na profissional, todo santo dia tenho um alvo a mirar, mas nem sempre acerto. E quando o erro cai sobre mim, assim, de pára-quedas, fico por um tempo estática, birrenta e com aquela sensação de dever mal cumprido. Depois tudo isso passsa e vem a vontade de reverter essa situação sem mágoas, pesares e afins. Sou uma humana chata!

Bem, esse texto nasceu na verdade com a vontade de registrar minha atual situação pessoal. Fui à dermatologista para resolver um problema e descobri um outro. Explico: estava com um problema dermatológico e a médica me indicou um endocrinologista. Fiz todos os exames e o médico deu o diagnóstico: tenho uma tireóide defeituosa, problemática. Resumindo: doente mesmo. Por um momento fiquei triste em saber que terei que fazer reposição hormonal pelo resto da vida porque minha glândulazinha não quer trabalhar mais, e ela é a responsável por praticamente todo o bom funcionamento do organismo. Putz, mas logo comigo?

É, entre tantos problemas, mais esse. Passado o susto, já estou me medicando, religiosamente pela manhã, em jejum. E sabe lá Deus até quando não me esquecerei. Espero que não, porque um esquecimento e todo o resto vai por água abaixo. Mas no cômputo geral estou bem, estou até aliviada, porque seria pior se não descobrisse agora, já que os sintomas não haviam se manifestado por completo, já que existem pessoas que caem o cabelo, engordam demasiadamente, têm lapso de memória... Enfim, várias coisinhas chatas que eu ainda não tenho muito, apesar de achar que ando meio esquecidinha e de ter engordado um pouquinho...

Mas quero dizer aqui que não devo lamentar nada. Deus me deu uma vida para ser vivida, seja como for. E tenho descoberto que posso chorar, descabelar-me, irritar-me, mas sempre com a certeza que logo, logo tudo passa. Deus me tem mostrado, sabiamente, que se eu tiver que passar por algo, seja ele bom ou ruim, eu vou passar, e dEle vai vir a força que preciso. E quando menos esperar meu sorriso sereno estampará novamente meu rosto...

Beijos em quem me lê. E hoje mando um especial para meu namô, que sempre está ao meu lado, mesmo nos momentos mais difíceis. Beijooooooooooooooooo!!


ange.


p.s.: ao som de "You'll never find another love like mine", by Michael Bublé.

5 comentários:

Evandro disse...

ó, amor, eu que tenho que agradecer a Deus a cada manhã por ter me dado você.
que Deus abençoe a sua saúde e cuide com o carinho mais especial dele.
e saiba que estou contigo e não abro, independentemente de qualquer coisa, tá?

beijos... te amo muito!

Ange, disse...

:*


obrigada sempre.

Evandro disse...

;)

até mais tarde...

Evan disse...

amor, faça um skype para a gente se falar enquanto eu estiver no expediente...

me encontre por evandro.abramov

beijos.

Evandro disse...

“Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele ceiarei, e ele comigo”. Apocalipse 3:20