sábado, 13 de janeiro de 2007

enquanto isso, em frente ao computador...



"E NO MEIO DE TANTA GENTE EU ENCONTREI VOCÊ, ENTRE TANTA GENTE CHATA, SEM NENHUMA GRAÇA..."[Marisa Monte, 'não é fácil']



Bom, eu havia prometido que hoje as minhas passagens pelo blog estariam encerradas,mas foi só começar a ouvir as canções da marisa monte ,do álbum "Memórias,Crônicas e Declarações de Amor", para que eu começasse a pensar e pensar...E as coisas foram fluindo e tals...E queria falar de um tema que ainda hoje é algo estranho pra mim: a coincidência.Existe ou não?

Vamos contabilizar quantos bilhões compõem o planeta hoje. Acredito que cerca de 13 bilhões, se não estiver enganada.Se estiver,alguém me corrija.Mas,independente desse número, é de se imaginar que seja um número razoável[!].E diante dessa dimensão, parece que todo mundo está fadado a encontrar situações que se fossem com outras pessoas não aconteceriam. Você não tem essa sensação? Eu estava assistindo os jornais e passou uma reportagem sobre aquele 'probleminha' que está acontecendo em São Paulo, da cratera que se abriu após um desmoronamento de uma obra do metrô. Exatamente no momento dos tremores e desmonamentos no local, um coletivo tipo 'van' passava por lá...Havia 4 pessoas dentro do automóvel. No exato momento. Normalmente dizemos: "no local errado,na hora errada.Que azar!". E pode ter sido...ou não. As 4 pessoas foram sugadas pela terra e até agora não foram localizadas. E o que pensar disso tudo? Coincidência ou destino? Confesso que ainda não sei,mas acho que aquelas pessoas tinham que passar por ali.Ou não! Sei que minha cabeça fica confusa com tudo isso, só de imaginar a situação.
Se formos elencar aqui quantos momentos julgamos coincidentes, ficaríamos a tarde, a noite toda escrevendo. Vislumbro várias histórias acerca do tema coincidência.Seria coincidência eu ter nascido na família que eu nasci? Acho que não.E o local que eu nasci? Crisólita,Minas Gerais.Não sei se eu suportaria ter nascido numa cidade como Bagdá,por exemplo.Tenho horror a qualquer tipo de violência. Seria hoje mais uma estatística.Morreria cedo.Acho que eu nasci na família certa.Tudo bem que a data de nascimento, se eu pudesse, trocaria.Queria ter nascido em 1950 pra ter pego o período da ditadura, da anistia...Eu fico fascinada com aquela época.Também acho que já teria morrido.Aff.
Mas voltando a 'acasos' menos trágicos, eu vou exemplificar um momento que vivi esse ano.Na verdade,tenho várias histórias sobre o tema.Mas vou falar sobre um recente. Eu moro aqui no Pará, a kilômetros de distância de dois irmãos, três sobrinhos,avó, tios,primos,amigos etc. Então, diante de tal fato, o natal aqui em casa não foi uma comemoração das mais empolgantes.Tudo meio 'assim'. Diante disso, após algumas horas da data, eu resolvi participar de um chat na comunidade "Insônia", no orkut.E lá vou eu.Achei de inicio uma chatice só.Pessoas com uns papos chatos blábláblá...Mas encontrei dois amigos que me chamaram atenção pelo conteúdo, pelas conversas,enfim. E desde então estamos firmando uma amizade bacana. Daí eu penso: se eu não tivesse entrado naquele chat aquele dia - coisa que não costumo fazer - , eu os teria conhecido? Possivelmente não! Seria coincidência? Acredito que não. Piamente não.Outro dia planejei uma viagem pra São Luís. Reservei pousada e tudo.Iria com 4 amigas. Elas acabaram desistindo. Fiquei arrasada, porque como eu poderia viajar sozinha? Ninguém merece,como diz a gíria. Eu fiquei de bronca vários dias com essa situação. Passados uns dias meu pai foi assaltado. Um valor razoável foi furtado. Tive que emprestá-lo uma grana. Depois sucederam outras agruras e emprestei mais um montante[!]. Resumo da ópera: se a viagem não tivesse sido cancelada pelas meninas, eu que acabaria cancelando,porque não teria dinheiro pra viagem...Coincidência?
Sem falar em situações de namoro, de casamentos,de mortes que vemos todos os dias.É o que Marisa Monte canta: " e no meio de tanta gente eu encontrei você..." . Uma infinidade de gentes que nos circundam, que cruzam conosco na rua,na fila do cinema e não sabemos nada até o dia em que resolvemos sentar bem do lado da pessoa no dia da estréia de "O auto da compadecida"[coincidência eu citar logo esse filme?acho q não.eu adorei a minissérie!]. E de repente um puxa um papo e daqui a pouco estamos tomando um suco na praça de alimentação...Coincidência? Lugar certo na hora certa? Daí lembro daquela frase chinfrim que muita gente escreve nos cartões de despedida: ' pessoas entram nas nossas vidas por acaso,mas não é por acaso que elas permanecem...' .Acho que é isso.Se não for,perdoe-me o autor desse magnífico pensamento...[risos]
...
Aquele exato momento chega.Vejo que minha vida é cheia desses mistérios que às vezes prefiro chamar de coincidência pra não ter que ficar fazendo conta! É, de vez em quando faço essas contas.É João que conhece Maria que conhece a cunhada do Ricardo que namora a Patrícia que é filha de Paulo que tem uma fábrica de roupas que empregou a tia da Rosana que está desempregada porque não tem um currículo invejável e por isso a vaga foi para o Pedro que era bom de lábia e 'ganhou' a Joana que agora é tia porque descobriu que sua irmã está grávida do Marcelo que não quer nada com a hora do Brasil...E por aí vai. Será que o mundo funciona melhor assim? Tudo acontecendo aleatoriamente, como um grande sorteio?
Se for assim, vou começar a jogar na mega-sena, porque a qualquer momento posso me tornar a mais nova rica do Brasil!
Tudo é coincidência...?Finalizo com ela,Clarice Lispector:
"Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento. Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Eu sou uma pergunta."

Ange



P.s.: caso alguém queira, comente aqui uma 'coincidência' em sua vida... vamos enriquecer esse tema pouco aprofundado!rs

5 comentários:

sunqinwo disse...

On the other hand this one contains loads of tasty recipes because it is about cooking. Leave comment and don't forget to tell your friend about it =)

Evan disse...

Eu enxergo a vida como uma sucessão de coincidências. Gostaria de não ser tão pragmático. Queria ser um pouco mais religioso, mas ainda não encontrei a fé.

"Um simples bater de asas de uma borboleta pode causar um tufão do outro lado do mundo" Eu vejo essa teoria mais como filosofica do que física... rsrs...

Se eu tivesse viajado no Natal, a gente não se conheceria.
Se meu pai não tivesse conhecido a minha mãe naquele dia e, naquele outro dia, se a minha mãe tivesse dito que estava com dor-de-cabeça, a gente não se conheceria.
Se eu não tivesse um amigo chamado Luis Gustavo Brito Dias, eu não conheceria a comunidade da insônia, e fatalmente não te conheceria.
Se Adolf Hitler não tivesse declarado a Segunda Guerra Mundial, a gente não se conheceria...
É melhor eu parar por aqui.

Espero ansiosamente a minha catequização. Não demore...por favor...rsrs

Beijos,

Evan.

Evan disse...

ah, já ia me esquecendo...

adorei a foto...rsrs

Angel disse...

Uau!! Quer exemplo de coincidencia melhor do q nosso nome?
E uma estranha abrir teu blog pra ler pela lista "dos ultimos atualizados do blogger.
Bjinhos

Luiz disse...

e se não houvesse ninguém passando quando aquela cratera se abriu?
e se houvesse um transporte escolar?
e se eu quisesse viajar para ver a família no natal?

e se eu ganhasse na mega sena?
e se eu fosse atropelado?

após tudo isso eu ainda seria o mesmo, apenas com novas perguntas...
a coincidência é só um número, uma probabilidade, parte de uma estatística.

mas isso não significa que ela não possa ser incrível e maravilhosa, como foi conosco!

então aproveitemos, olhemos pra frente, que quem anda de lado é caranguejo!

Beijos