domingo, 9 de setembro de 2007





















PENSO. LOGO EXISTO?
Eu, quando choro, não choro eu. Chora aquilo que nos homens em todo tempo sofremos. As lágrimas são as minhas, mas o choro não é meu.


Antônio Gedeão, in: Gota de Água

Esse pensamento reflete bem o que tenho sentido nos últimos dias.Ligo a TV e só vejo o que não queria ver.Daí choro mesmo,por dentro.Exteriorizar pode parecer piegas demais!E chorar,pra mim, só escondido.Detesto que me vejam chorando,seja qual for o motivo.Mas isso acontece de vez em quando e fico desconcertada, porque gosto mesmo de parecer forte, domadora de sentimentos,sabe?
Mas não estou aqui pra falar de mim,tão somente do que tenho visto por aí que me deixa cada vez mais chocada.Sei lá, tudo parece tão estático, as pessoas parecem desnorteadas,perdidas.E não há,definitivamente, ninguém para socorrê-las.As ações,por menores que sejam, fazem uma diferença enoooorme, porém não vejo isso.Vejo descaso,seja na área de saúde, seja na educação ou na segurança pública.E tudo isso passa por imbricações complicadas,por vieses elaborados.Não dá para resolver de um dia para outro, mas as ações podem suavizar muita coisa.A população critica tanto o governo e ao mesmo tempo também age como o Estado.A sociedade dita organizada não tem nada de organizada.E assim fica dificil entender os problemas e fazer com que cessem de uma vez por todas.

Pequenos gestos me deixam assustada.Falam tanto em combate à corrupção e o tempo todo está todo mundo corrompendo e se deixando corromper.Pode ser até mesmo dentro de casa,diante de uma chantagem de um filho para conseguir aquele brinquedo que muitas vezes estoura o orçamento familiar! Por que nos acostumamos com isso? Por que não se mudam posturas? Por quê? Por quê?? São perguntas cujas respostas temos na ponta da língua,mas dizê-las podem causar desastres emocionais que nos levariam fácil,fácil ao analista...


Ontem vi na TV o caso do líder comunitário que denunciou milícias em um morro no Rio de Janeiro.Não sei se já foi encontrado seu corpo, mas sei que há uma semana os policiais denunciados por ele saíram da prisão e agora negam envolvimento no desaparecimento do cidadão.É, cidadão que quis fazer a diferença nesse país de gente covarde por força de um Estado que não protege.Quiçá ele tivesse ficado calado estivesse vivo agora,porém com uma venda nos olhos,como faz a maioria da população.



E nem posso condenar, porque se assim não agir,o número de pessoas mortas seria bem maior.Vidas seriam mais e mais ceifadas,diante de tamanha violência.E diante de assustadora inércia de todos os lados, os políticos aproveitam para deitar e rolar! Então eu choro,o que só me resta fazer.Enquanto isso, tento,ao menos, viver uma vida ditada em padrões de responsabilidade e honestidade.Talvez não seja muito o que tenho feito,mas pelo menos não tiro o leite e o pão da mesa de trabalhadores que lutam sob o sol escaldante desse país tropical. Aliás, não sei como políticos conseguem deitar a cabeça no travesseiro e saber que estão com uma conta gorda de dinheiro advindo de atitudes ilícitas.E a população continua à mercê de situações penosas...Triste mesmo.


E podem me chamar de boba,não me importo.Só me importo mesmo em viver uma vida correta.O resto? Deixo para aqueles que têm uma coragem mordaz de praticar o mal.Até quando não sei,porque a justiça,ainda que não seja essa terrena, um dia chega.Ah,chega...

Au revoir!

foto: da internet

Um comentário:

Evandro disse...

é triste chegar ao ponto de termos mais medo de polícia do que de bandido... essa é a realidade do nosso brasil, nosso país desigual.
está tudo ao contrário... quem não entra no jogo dos bandidos, quem não entra na máfia, é morto, sem dó nem piedade.
o comportamento humano é pior que o comportamento animal... o irracional é mais racional que o racional? ilógico isso, né?

sei lá... como você comentou... essa justiça não deve ser terrena mesmo... só a divina!

beijo, meu amor.