quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Eu nunca mais vou dizer o que realmente penso
Eu nunca mais vou dizer o que realmente sinto
Eu juro, eu juro [por Deus]
- Titãs -


Feito bicho manso. Assim queria ficar, porque é muito difícil ser transparente, demonstrar como me sinto diante de qualquer situação. Falar a verdade parece ofensa, mesmo que essa verdade sirva como meio de fazer com que as pessoas percebam seus erros e até mesmo seus acertos. O que mais me aflige é saber que existem pessoas que não reconhecem quando estão erradas. Nos últimos tempos eu tenho feito essa auto-análise, tenho buscado me colocar no lugar das pessoas para tentar sentir um pouco o que o outro sente. Será que isso é tão difícil de exercitar? 
Mas não quero levantar nenhuma bandeira. Assim como a canção acima, juro que não vou mais falar o que penso nem demonstrar o que sinto. Não serei hipócrita, apenas indiferente. E acho que ser indiferente dói bem mais  que ser hipócrita. E para falar a verdade, nenhuma coisa nem outra: quero fugir dessas pessoas que não me acrescentam nada, não me dizem nada. Acho que esse é o melhor caminho.
E, deixando de lado o desabafo, quero dizer que minha vida, aquela que realmente tenho sonhado, começa a despontar no horizonte. É o começo de um novo tempo. Obrigada, meu Deus!


Avec Amour,
Ange.

Nenhum comentário: