quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Mas existe um grande, 
o maior obstáculo
 para eu ir adiante: eu mesma. 
Tenho sido a maior dificuldade
 no meu caminho.”
Clarice Lispector

Olá.


Acho que sou como todo mundo: quando estou triste, gosto de ficar só. O barulho de gente aflora meu lado negativo. E quando estou assim, melancólica, gosto muito de ficar perto do sublime, do divino... Tento achar Deus no meu silêncio. E isso me acalma. E isso é bom. Bom mesmo.


Sou uma pessoa que oscila entre o alegre e o triste. Aliás, não sei bem ser alegre o tempo todo. Algumas pessoas têm esse dom. Eu sou visceral, chata, nostálgica... Minha salvação, talvez, seja a escrita. Daqui a pouco eu ficarei bem, você vai  ver. Questão de tempo.


Inquieta. Também fico assim. Preciso sair de mim, abstrair. Sim, senão enlouqueço. E hoje, o que eu queria era ter minha solidão em paz, meus desatinos respeitados. E não, não é bem assim. 


Talvez eu seja aquela pessoa que busca o impossível. O impossível atrai e ao mesmo tempo derruma sem dó. E eu não sei dançar tão devagar, como canta Marina Lima. Sou freneticamente instável.


Beijo, 
Ange.

praia de Riacho Doce/ES
(foto: Ange)

Um comentário:

Vivi aninha: disse...

somos assim mesmo. só Deus pode resolver o que pra nós parece impossível.
Besos, besos.
http://vivi-aninha.blogspot.com